Textos

Carta do Amante #01

Eu não sei de onde saiu tudo isso. Enquanto eu acreditava ser envolto na mais adocicada das nuvens, algo estranho parecia contornar minha silhueta, esquivando-se para o lado esquerdo do peito, e gritando: acorde. Antes que seja tarde.

Vozes são apenas vozes, e aos esquizofrênicos o calor do abraço vem de uma camisa de força.

E agora o que me resta é o amargo na boca por descobrir que você é a mais solene, sublime, verdadeira e indelével das putas. Destruir corações enquanto brinca com a genitália alheia parece, em algum instante, ser divertido para você. Correção: isso parece ser divertido todo o tempo. Pelo menos para você.

Eu não sei o que te fizeram, ou qual foi a justificativa dada, mas isso não lhe dá o direito de solapar tudo o que, para os outros é precioso. Eu não sei qual é sua desculpa, mas sentimentos são sentimentos. Todavia, putas são putas. Apenas putas. Como você.

E agora eu quero que você veja o rastro de indiferença que deixo diante de você. Quanto a mim, me presenteie com amnésia. Esqueça-se, corra para os braços insignificantes, como os que você achou que eram os meus. Foi seu maior engano. Você usou quem jamais lhe usaria. Você mentiu para quem jamais mentiria para você. Você desprezou quem te tratava como tudo de mais precioso.

A partir de então, eu sigo mais forte. E você, mais puta. Mas só puta, que jamais vai entender o que é estar nos braços de alguém que faria absolutamente tudo por mais um sorriso seu.

Anúncios
Padrão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s